quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Boneca, vou te mostrar exatamente como você é agora, aos 10 anos de idade:


Em um Brasil que luta pelo empoderamento feminino, um dia, brincando com o Pedro, ouço o seguinte diálogo entre marido e mulher: -Bem 10:  Barbie, vou salvar o mundo agora! -Barbie:  Tá bom. Mas antes passe na padaria e traga leite e pão. E não esquece de buscar as crianças na escola!

Você tem milhares de panelinhas, fogãozinho, roupinhas de boneca, tábua de passar, etc. E como você brinca? Panelinhas e fogãozinho pertencem ao seu restaurante, no qual o atendimento é ótimo. Eu garanto. Sou cliente fiel. Roupinhas de boneca são vendidas por um bom preço na sua loja de roupas e a tábua de passar serve para separar os departamentos. Sou cliente da sua boutique também.

Você é a única menina por aqui, então só tem como você brincar com os meninos. E você não aceita que lhe tratem como desigual. Brinca desde casinha, passando por truco, e até de futebol. Até pouco tempo, o seu uniforme de final de semana era vestido de princesa e pés descalços. Como amo esses seus pesinhos pretos de sujo e o cabelinho grudado na cabeça de tanto suor, de tanto brincar lá fora.

Sábado estava com uma dor de dente muito forte. Você me trouxe água, tomei um remédio e fui deitar. Você deitou do meu lado, segurou a minha mão e ficou abraçadinha comigo até sentir que tinha melhorado. Saiu da cama e disse que ia lá fora jogar bola um pouco com os meninos. Mais tarde, chegou com um batom de chocolate na mão e me ofereceu a metade. Não aceitei, mas achei a coisa mais linda do mundo.

Você esta louca pra aprender inglês. Eu disse que não tenho dinheiro agora. E após duas tentativas frustradas em que trouxe panfletos que davam descontos, decidiu aprender sozinha. Coloca no youtube músicas em inglês com legenda e fica treinando sozinha. Sinceramente? Tenho inveja de toda a sua força de vontade.

Em um mundo onde o bulling é um assunto em pauta, tentaram fazer bulling com você na escola. Com muito humor e às vezes um pouco de braveza, você se safou de todos. Quando tentaram colocar apelidos, com deboche, você criava outros, ou até mesmo eu te ensinava alguns. Todos riam e o apelido não pegava. 

Te chamam de baixinha? E daí? Você é mesmo! E isso não é defeito, é charme. Te chamam de feia? E daí? Você não é mesmo! Tentaram te agredir? Você é bacana, mas é brava de nascença. Você faz kung fu e tem primos homens pra treinar os socos e pontapés. E claro, não leva desaforo pra casa. “Lara, por que brigou de novo?” “Ué, mãe... Se me batem, a senhora quer que eu faça o quê? Quer que fique esperando eles terminarem? Não, né?!” E mesmo assim, tem tantos amigos... E todos querem você por perto. Já perdi as contas de quantos já me pediram pra você dormir na casa deles. Nunca deixei. Sou cismada e sou ciumenta. Ponto.


Você é empoderada, forte, valente, carinhosa, companheira, bem humorada... Filha, se neste momento você é uma adulta, por favor, não mude nada! Você é maravilhosa. E se talvez tenha perdido algumas dessas qualidades, releia todos os relatos que já escrevi até hoje e que provavelmente ainda escreverei, e recupere dentro de você essa menina especial que tenho a honra de ser mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário