quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Amorzinho,

Me perdoe por ter sido tão áspera nesse ano. Por ter sido tão triste e até ausente. Sabe, mamãe não é heroína coisa nenhuma. Mamãe é gente que sente, erra e erra, mas erra tentando acertar, ou erra por estar fraca demais.

Obrigada por ter sido tão forte por mim, por ter sido meu oásis, e me perdoe por, sem querer, ter te dado essa árdua tarefa. Se não fosse por você ser tão querida, tão amorosa, tão insistente e tão família, não sei como eu estaria agora. Obrigada por ser meu porto seguro, boneca.

Obrigada por não deixar eu me perder nesse ano, Boneca. Obrigada por ser minha filha linda e sábia a sua maneira. Deus definitivamente fala comigo através de você. Você é e sempre foi o meu anjinho, a minha companheirinha e o meu norte.

Prometo que em 2015 vou tentar ser mais paciente, mais crédula, mais amorosa, Bonequinha. Eu não gosto de ser triste e não gosto de deixá-la preocupada. Você é muito pequenininha e tem que se preocupar com coisas de pequenininhos, ok?

Te amo, minha boneca, minha florzinha, minha música, meu poema, minha obra de arte, minha luz... Te amo demais, amor! 




quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Liberté

Nós duas deitadas no colchão no chão:

- Mamãe me abraça!

E eu abraço, claro! Mas, minutos depois você começa a me empurrar...

- Mas porque tá me empurrando?

- Mamãe, a senhora tá tirando a minha liberdade!