sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Essa grande e malvada escola nova!


Ontem à noite você chorou por quase uma hora. Chorou sentida e soluçava. O motivo? Seus coleguinhas na escola nova “não ouviam” o que você falava. Você não queria participar da mesma brincadeira que eles, chamava para outra e eles nem tchum. Sei como são as crianças, escola nova, turminhas já formadas e você uma caloura. Podem sim estar te ignorando. Mas você também não queria brincar a brincadeira deles. Nem tentou brincar com eles. Já queria mandar em tudo. Menina difícil você. Sei que você é mandona, que quer controlar a brincadeira, mas se esqueceu de que esta em uma escola nova e muito maior que a anterior. Vai ter que batalhar muito pra conseguir um “posto de comando”. Não gosto de te ver sofrer. Minha primeira vontade foi de ir à escola dar uma surra nesses pequenos malvados que te maltrataram. Mas não posso. É você aprendendo a viver no mundo lá fora. É você aprendendo a batalhar suas coisas, a conquistar seu espaço. Não quero uma adulta dependente e imatura chamando a “mamãe” pra resolver todas as suas coisas. Sou sua mãe, você pode contar com meu apoio e meu ombro pra tudo nessa vida, pode confiar em mim e pode receber de mim uma palavra dura ou amiga e bons conselhos, mas nunca passarei a mão na sua cabeça e nunca atrapalharei a sua maturidade. Quero o seu bem e quero você uma adulta capaz de resolver seus próprios problemas com sabedoria, e pra isso, infelizmente amor, a gente aprende sofrendo, nem que seja um pouquinho. Estou aqui para que você sofra o menos possível, mas não posso coloca-lá em uma redoma de vidro. Tem que aprender a viver. Eu e seu pai estipulamos um prazo entre nós dois e sem que você saiba: Você tem duas semanas pra resolver isso, e sei que pode e vai resolver. Mas caso não consiga, vamos na surdina até sua escola pedir a professora para que dê uma forcinha na sua adaptação. Desculpa amorzinho, mas é para o seu bem. Sei que vai me entender. Como sempre digo, Mamãe é brava, mas Mamãe te ama!


Em tempo: Anteontem mesmo você estava toda feliz com a escola dizendo que foi a "ajudante do dia" e que ajudou a professora a distribuir os "para-casa". Estava toda orgulhosa e feliz com a escola. Segundo você mesma, tudo isso aconteceu na "escola da tarde" que é em outro anexo da escola e que é a parte que você gosta e a "escola da manhã" que é chata e que você não gosta porque seus coleguinhas "não te ouvem". (Mamãe continua te amando...)

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Arrancando um dentinho...


Descobrimos a uma semana que você teria que arrancar um dentinho, pois o definitivo já estava nascendo em cima dele. Preparei uma tática de guerra, porque na minha cabeça de mãe você aprontaria um verdadeiro “carnaval” na sala da odontopediatra. Seu pai nem quis entrar, ele não ia aguentar ver fazerem isso com você. E nada! Você se comportou como verdadeira mocinha! A odontopediatra conversou com você, explicou tudo e tcham arrancou o dentinho. Mandou contar até três e todo mundo fechar os olhos. Você não derramou uma lágrima, não teve um pingo de medo. Fiquei muito orgulhosa! Mereceu o sorvete depois. Aliás, você disse que só vai arrancar dentinho nessa odontopediatra, porque o remédio que ela receita é sorvete! Sua linda! Só fiquei chateada por você ter dado o “troféu” (o dentinho retirado) pra Titia Quequel... Mas ok. Eu tenho a posse do primeiro dente de leite que caiu. Sua boneca linda e corajosa!