terça-feira, 13 de setembro de 2011

Jura ??

Essa noite, nem você, nem eu e nem a vovó dormimos. Passamos a noite em claro. Você gemia, tossia, fungava e chiava. Reclamava dor no peito e nos pés. Amanheceu e resolvi te levar ao hospital. Sozinha. E de ônibus. Achei que seria super tranquilo. Não foi. Na ida, você tava tão abatidinha que pediu colo no meio do trajeto e eu dei. Chegamos ao hospital. Você foi atendida, medicada e horas depois, liberada. Na volta, já estávamos cansadas, famintas e decididas a almoçar só em casa. Desta vez, pediu colo no início do trajeto. Dois ônibus carregando 16,5 kg. Em certo momento, parei de sentir o ombro. Mas o que importa, estava dormindo como um anjinho, finalmente. Chego em casa quase me arrastando, com um leve desconfiança de uma torção no meu punho direito devido o esforço. Dou comida, cafuné e vou pro computador passar a lista de medicamentos pro seu papai. Arrumei uns papeis e lápis de cor na mesa ao meu lado pra distraí-la enquanto eu digitava. E enquando digitava, lamentava em pensamento todas as minhas mazelas do dia. Foi nesse momento que você distraída colorindo o desenho e sem ao menos olhar pra mim, faz o seguinte comentário: "Não é que você quer ter um outro neném, mamãe?" Quase sem acreditar no que ouvia, olhei pro lado e disse "Hã?", e você repetiu olhando nos meus olhos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário