sábado, 24 de setembro de 2011

Chocoletras

Mais um projeto da escola da Larinha: CHOCOLETRAS. O Chocoletras tem como objetivo aproximar a arte, a cultura e a literatura, e expressar o prazer que a leitura e o chocolate podem proporcionar. Foi um evento conta com a participação de 160 alunos de 3 a 5 anos e aberto a toda comunidade escolar. Haviam chocolates, livros, poesia recitada, musicas cantaroladas, textos e mais textos para ler em qualquer mesa ou parede, desenhos e pinturas baseadas em obras literárias. E a apresentação da minha boneca seria recitar o poema "O Gato" de Vinícius de Moraes. Para uma princesinha de um metro e pouco e cinco anos de vida, um texto daquele tamanho pra decorar é muita coisa. 
E ela o fez brava e lindamente. Toda trajada de gatinha branca. 

Uma fufura! 
Essa criança ainda me mata de tanto orgulho!



O Gato - Vinícius de Moraes

Com um lindo salto
Lesto e seguro
O gato passa
Do chão ao muro
Logo mudando
De opinião
Passa de novo
Do muro ao chão
E pega corre
Bem de mansinho
Atrás de um pobre
De um passarinho
Súbito, pára
Como assombrado
Depois dispara
Pula de lado
E quando tudo
Se lhe fatiga
Toma o seu banho
Passando a língua
Pela barriga.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Projetos

Na nova escola da Lara existe o Projeto do Livro. Toda quinta-feira, ela escolhe um livro e já tem um caderno especial aonde, depois de lermos o livro juntas, ela escolhe como interpretar aquela história. Pode ser através de desenho, colagem, enfim, como ficar melhor. Depois, reescrevo no caderno como a Lara recontou a história. Temos até a quinta seguinte pra entregar o caderno do Projeto. Bom, resumindo, é isso.

Um dia desses, ligo pra casa e a boneca atende:

- Oi amor, já decidiu como você vai interpretar a historinha? Vai fazer um desenho? Quer que a mamãe baixe umas imagens pra você colorir? O que resolveu?

- Mamãe, não resolvi nada ainda... Não resolvi nem o que quero da vida!!


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Jura ??

Essa noite, nem você, nem eu e nem a vovó dormimos. Passamos a noite em claro. Você gemia, tossia, fungava e chiava. Reclamava dor no peito e nos pés. Amanheceu e resolvi te levar ao hospital. Sozinha. E de ônibus. Achei que seria super tranquilo. Não foi. Na ida, você tava tão abatidinha que pediu colo no meio do trajeto e eu dei. Chegamos ao hospital. Você foi atendida, medicada e horas depois, liberada. Na volta, já estávamos cansadas, famintas e decididas a almoçar só em casa. Desta vez, pediu colo no início do trajeto. Dois ônibus carregando 16,5 kg. Em certo momento, parei de sentir o ombro. Mas o que importa, estava dormindo como um anjinho, finalmente. Chego em casa quase me arrastando, com um leve desconfiança de uma torção no meu punho direito devido o esforço. Dou comida, cafuné e vou pro computador passar a lista de medicamentos pro seu papai. Arrumei uns papeis e lápis de cor na mesa ao meu lado pra distraí-la enquanto eu digitava. E enquando digitava, lamentava em pensamento todas as minhas mazelas do dia. Foi nesse momento que você distraída colorindo o desenho e sem ao menos olhar pra mim, faz o seguinte comentário: "Não é que você quer ter um outro neném, mamãe?" Quase sem acreditar no que ouvia, olhei pro lado e disse "Hã?", e você repetiu olhando nos meus olhos...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

"Passarinho-com-três-falas"

Hoje foi sua primeira aparição nos palcos desta vida. Sua inserção no mundo teatral. Era o "passarinho-com-três-falas" mais lindo deste mundo! Nunca vi interpretação mais sensível e comovente. Contaram a história da branca de neve, e você era o passarinho que indicava o caminho a casa dos sete anões. Quanta expressividade... E você não foi simplesmente atriz, não! Você foi assistente de direção. Chamava todos os personagens e os alertava quanto ao "x" no palco. Era tanta ansiedade que você não sossegava um minuto. Chamava os atores, lembrava de suas falas, dava tchauzinhos e beijos para sua plateia e se acabava em sorrisos. Você foi brilhante, minha filha. Minha pequena "Fernanda Montenegro"!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Ao futuro príncipe da minha princesa

A você, pequeno conquistador, que hoje, primeiro de setembro de 2011, tem os seus sete ou oito anos e pretende, alguma dia, se casar com minha filha, te digo algumas coisas:

Ela gosta de cafuné, mas não gosta que mexa muito com ela. Ela tem essa voz meiga e essa carinha angelical, mas quando esta brava não há quem segure. Principalmente se ela tem razão. Ela é muito exigente e autoritária, mas sabe ser um doce e carinhosa. Não gosta que a acordem, mas acorda sorridente quando acorda sozinha e no seu horário. Se, por acaso tiver que acordá-la, te dou uma dica: massageie seus pés com ela ainda dormindo, ela acorda com um sorriso lindo. Pelo menos, comigo funciona todos os dias quando a acordo para ir a escolinha. Massageie seus ombros e suas costas, isso a faz ronronar como uma gatinha. Faça-lhe agrados, lhe traga presentinhos, mas não muito, ela fica terrivelmente mal acostumada. Não lhe prometa nada que não poderá cumprir, pois ela tem uma mania chata de cobrar promessas.  Diga não para ela quando necessário. É um segredo meu e dela, mas vou te contar: no fundo, ela não gosta que concorde sempre com ela. Ela cobra postura e opinião. Ela gosta muito de falar. E como fala essa menina... Mas você vai gostar de ouvir o que ela tem a dizer. E ela  vai querer ouvir o que você tem a dizer. Não tente ser autoritário com ela, porém não seja manso demais, ela não gosta disso. Veja bem, pequeno conquistador, lhe digo tudo isso e ela tem apenas cinco anos. Ela é uma pessoa maravilhosa. É honesta, linda, sincera, justa e um pouco manhosa (como toda mulher deve ser), trate-a bem e com carinho e você terá retorno garantido.