terça-feira, 23 de agosto de 2011

Mãe de quem?

Desde que a princesa nasceu, nunca mais tive mãe. A "mamãe-vovó" sempre foi só dela. E não fui só eu que saí perdendo, meus irmãos também perderam a mãe e meus sobrinhos perderam a avó. 

Não posso deitar no colo de minha própria mãe que lá vem ela, empurrando daqui, arrumando uma desculpa dali, até me arrancar de lá e pular no colo da vovózinha.

Há alguns dias, quando estávamos saindo da igreja, saí de mãos dadas com minha mãe e ela de mãos dadas com a Titia Zaia na nossa frente. Quando ela olhou para trás e viu aquele absurdo, tratou de largar a mão da titia, correu e separou nossas mãos e ficou de mãos dadas com a vó o resto do caminho.

Sempre me pego usando frases com a Lara que ouço ou ouvia de minha mãe. Mas duas me marcaram mais. Estava "discutindo" com a boneca sobre a importância dela usar a cadeirinha dentro do carro. Ela dizia: "Mas mamãe, fulando não usa!". Respondi: "Não me interessa, fulano não é meu filho, você é!". E em outra vez, não me lembro muito bem o motivo do impasse, mas ela virou pra mim e disse: "Mas todo mundo faz isso!". E eu: "E daí? Você não é todo mundo, você é minha filha!". 

Estes dias, tenho tido uma tosse constante e tenho andado muito abatida, nem sei se é gripe, mas enfim, minha mãe pegou no meu pé, queria que fosse ao médico de qualquer jeito. No meio da discurssão disse: "Mas mãe, tá todo mundo tossindo, isso deve ser por causa do tempo seco!". E ela me respondeu: "E daí? Você não é todo mundo, você é minha filha!".

Por alguns dias ao menos, ganhei colo e leite queimadinho com canela. Por alguns dias, a princesa me permitiu ter minha mãe de volta.









segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Confiança

Tia Zaia pegunta:

- Quem quebrou a torneirinha do filtro.

E Larinha responde:

- Fui eu titia.

Larinha vira pra mim, me abraça e diz:

- Não é que tem que falar sempre a verdade, mamãe? Eu sempre falo a verdade pra mamãe, ela me xinga, mas ela me ajuda a resolver!

Quase chorei...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Por que ela me ama?

Ligo pra casa e a princesa atende. E do nada ela me vem com esta:

- Mamãe, eu te amo por dois motivos: Porque você é minha mamãe e porque você gosta da Bebel !

(Explicando: Bebel é a poodle da minha irmã, mas que é a paixão da bonequinha)



quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Vivendo e aprendendo

Sempre adotei o estilo de repreender dos antigos. “É com palmadas que a criança aprende a obedecer!”. Claro que nunca espanquei minha filha, mas ela ganhava lá suas palmadas. Bom, a vida é assim, se não aprendemos por bem, aprendemos por mal. Depois do episódio que aconteceu comigo, fiquei muito mais consciente. Não é justo ser agredida por uma pessoa muito mais forte que você, não há como se defender. Fiquei imaginando eu deste tamanho “agredindo” aquela coisa pequenininha sem que ela tenha qualquer forma de se defender. Agora sei como ela se senti. Uma pessoa que ela ama e que diz amá-la tanto deixá-la encurralada daquele jeito. Aqueles olhinhos aflitos. Só agora consigo perceber. De um tempo pra cá, só aplico castigos alternativos: Cinco minutos no cantinho de pensar ou no quarto, ficar sem ver Discovery Kids, não usar a bota que ela tanto ama, não ganhar surpresinha, ou somente uma boa conversa. E para meu espanto isso funciona muito mais. Ela estava se tornando uma criança agressiva. E por minha culpa. Eu estava ensinando isso pra ela. Agora ela esta bem mais calma e carinhosa. Escuta o que falo. Aceita e entende o castigo. Ainda apronta das suas, só que agora aprendi a educar corretamente. Aprendi a duras penas, mas aprendi. Perdoa mamãe, bonequinha?

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Escola nova. Vida nova.

Boneca, hoje foi seu primeiro dia na escola nova. Lá é lindo, não é? Você ficou maravilhada. No começo ficou um pouco ressabiada de entrar na salinha e enfrentar novos colegas. Mas sua professora me contou que com dez minutos você já estava enturmada. Brincou com os colegas. Comeu todo o lanche. Amo esse seu jeito, Princesa. Você faz amizade rapidamente, creio que toda criança seja assim, mas sua simpatia é contagiante. Amor, me perdoe por esta troca. Sei que você gostava da outra escola, da antiga professora e dos seus coleguinhas, mas foi necessária. Quando crescer, sei que vai entender todas estas mudanças. Mudança de casa, de escola... Mas acredite, lindeza, tudo isso é por um bem maior. Mamãe não fez tudo isso por mal. Agora você esta em um lugar bom, com gente que tanto ama, com seus priminhos, com a mamãe mais tranqüila e principalmente com a Bebel, que mesmo contra a minha vontade, é a sua cachorrinha preferida. Como você mesma diz, “ela é seu amorzinho”.  Bonequinha, você é e sempre será muito feliz no que depender de sua mamãe. Se possível for, viro o mundo do avesso. Foi o seu primeiro dia na escola e é o primeiro dia do resto de nossas vidas. Nosso recomeço, amorzinho!