domingo, 23 de outubro de 2011

Companheirinha

Hoje, tive a certeza de que tenho uma companheira. Enquanto gemia de dor, você segurava minha mão, me beijava e me abraçava. Você não saia do meu lando enquanto não tinha certeza de que estava tudo bem. E era a única coisa que você poderia fazer. E foi a única coisa que realmente me curou. Obrigada por ser minha filha e companheirinha, Princesa! Não vou me esquecer do dia de hoje nunca! Você foi mais linda do que nunca...

sábado, 24 de setembro de 2011

Chocoletras

Mais um projeto da escola da Larinha: CHOCOLETRAS. O Chocoletras tem como objetivo aproximar a arte, a cultura e a literatura, e expressar o prazer que a leitura e o chocolate podem proporcionar. Foi um evento conta com a participação de 160 alunos de 3 a 5 anos e aberto a toda comunidade escolar. Haviam chocolates, livros, poesia recitada, musicas cantaroladas, textos e mais textos para ler em qualquer mesa ou parede, desenhos e pinturas baseadas em obras literárias. E a apresentação da minha boneca seria recitar o poema "O Gato" de Vinícius de Moraes. Para uma princesinha de um metro e pouco e cinco anos de vida, um texto daquele tamanho pra decorar é muita coisa. 
E ela o fez brava e lindamente. Toda trajada de gatinha branca. 

Uma fufura! 
Essa criança ainda me mata de tanto orgulho!



O Gato - Vinícius de Moraes

Com um lindo salto
Lesto e seguro
O gato passa
Do chão ao muro
Logo mudando
De opinião
Passa de novo
Do muro ao chão
E pega corre
Bem de mansinho
Atrás de um pobre
De um passarinho
Súbito, pára
Como assombrado
Depois dispara
Pula de lado
E quando tudo
Se lhe fatiga
Toma o seu banho
Passando a língua
Pela barriga.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Projetos

Na nova escola da Lara existe o Projeto do Livro. Toda quinta-feira, ela escolhe um livro e já tem um caderno especial aonde, depois de lermos o livro juntas, ela escolhe como interpretar aquela história. Pode ser através de desenho, colagem, enfim, como ficar melhor. Depois, reescrevo no caderno como a Lara recontou a história. Temos até a quinta seguinte pra entregar o caderno do Projeto. Bom, resumindo, é isso.

Um dia desses, ligo pra casa e a boneca atende:

- Oi amor, já decidiu como você vai interpretar a historinha? Vai fazer um desenho? Quer que a mamãe baixe umas imagens pra você colorir? O que resolveu?

- Mamãe, não resolvi nada ainda... Não resolvi nem o que quero da vida!!


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Jura ??

Essa noite, nem você, nem eu e nem a vovó dormimos. Passamos a noite em claro. Você gemia, tossia, fungava e chiava. Reclamava dor no peito e nos pés. Amanheceu e resolvi te levar ao hospital. Sozinha. E de ônibus. Achei que seria super tranquilo. Não foi. Na ida, você tava tão abatidinha que pediu colo no meio do trajeto e eu dei. Chegamos ao hospital. Você foi atendida, medicada e horas depois, liberada. Na volta, já estávamos cansadas, famintas e decididas a almoçar só em casa. Desta vez, pediu colo no início do trajeto. Dois ônibus carregando 16,5 kg. Em certo momento, parei de sentir o ombro. Mas o que importa, estava dormindo como um anjinho, finalmente. Chego em casa quase me arrastando, com um leve desconfiança de uma torção no meu punho direito devido o esforço. Dou comida, cafuné e vou pro computador passar a lista de medicamentos pro seu papai. Arrumei uns papeis e lápis de cor na mesa ao meu lado pra distraí-la enquanto eu digitava. E enquando digitava, lamentava em pensamento todas as minhas mazelas do dia. Foi nesse momento que você distraída colorindo o desenho e sem ao menos olhar pra mim, faz o seguinte comentário: "Não é que você quer ter um outro neném, mamãe?" Quase sem acreditar no que ouvia, olhei pro lado e disse "Hã?", e você repetiu olhando nos meus olhos...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

"Passarinho-com-três-falas"

Hoje foi sua primeira aparição nos palcos desta vida. Sua inserção no mundo teatral. Era o "passarinho-com-três-falas" mais lindo deste mundo! Nunca vi interpretação mais sensível e comovente. Contaram a história da branca de neve, e você era o passarinho que indicava o caminho a casa dos sete anões. Quanta expressividade... E você não foi simplesmente atriz, não! Você foi assistente de direção. Chamava todos os personagens e os alertava quanto ao "x" no palco. Era tanta ansiedade que você não sossegava um minuto. Chamava os atores, lembrava de suas falas, dava tchauzinhos e beijos para sua plateia e se acabava em sorrisos. Você foi brilhante, minha filha. Minha pequena "Fernanda Montenegro"!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Ao futuro príncipe da minha princesa

A você, pequeno conquistador, que hoje, primeiro de setembro de 2011, tem os seus sete ou oito anos e pretende, alguma dia, se casar com minha filha, te digo algumas coisas:

Ela gosta de cafuné, mas não gosta que mexa muito com ela. Ela tem essa voz meiga e essa carinha angelical, mas quando esta brava não há quem segure. Principalmente se ela tem razão. Ela é muito exigente e autoritária, mas sabe ser um doce e carinhosa. Não gosta que a acordem, mas acorda sorridente quando acorda sozinha e no seu horário. Se, por acaso tiver que acordá-la, te dou uma dica: massageie seus pés com ela ainda dormindo, ela acorda com um sorriso lindo. Pelo menos, comigo funciona todos os dias quando a acordo para ir a escolinha. Massageie seus ombros e suas costas, isso a faz ronronar como uma gatinha. Faça-lhe agrados, lhe traga presentinhos, mas não muito, ela fica terrivelmente mal acostumada. Não lhe prometa nada que não poderá cumprir, pois ela tem uma mania chata de cobrar promessas.  Diga não para ela quando necessário. É um segredo meu e dela, mas vou te contar: no fundo, ela não gosta que concorde sempre com ela. Ela cobra postura e opinião. Ela gosta muito de falar. E como fala essa menina... Mas você vai gostar de ouvir o que ela tem a dizer. E ela  vai querer ouvir o que você tem a dizer. Não tente ser autoritário com ela, porém não seja manso demais, ela não gosta disso. Veja bem, pequeno conquistador, lhe digo tudo isso e ela tem apenas cinco anos. Ela é uma pessoa maravilhosa. É honesta, linda, sincera, justa e um pouco manhosa (como toda mulher deve ser), trate-a bem e com carinho e você terá retorno garantido.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Mãe de quem?

Desde que a princesa nasceu, nunca mais tive mãe. A "mamãe-vovó" sempre foi só dela. E não fui só eu que saí perdendo, meus irmãos também perderam a mãe e meus sobrinhos perderam a avó. 

Não posso deitar no colo de minha própria mãe que lá vem ela, empurrando daqui, arrumando uma desculpa dali, até me arrancar de lá e pular no colo da vovózinha.

Há alguns dias, quando estávamos saindo da igreja, saí de mãos dadas com minha mãe e ela de mãos dadas com a Titia Zaia na nossa frente. Quando ela olhou para trás e viu aquele absurdo, tratou de largar a mão da titia, correu e separou nossas mãos e ficou de mãos dadas com a vó o resto do caminho.

Sempre me pego usando frases com a Lara que ouço ou ouvia de minha mãe. Mas duas me marcaram mais. Estava "discutindo" com a boneca sobre a importância dela usar a cadeirinha dentro do carro. Ela dizia: "Mas mamãe, fulando não usa!". Respondi: "Não me interessa, fulano não é meu filho, você é!". E em outra vez, não me lembro muito bem o motivo do impasse, mas ela virou pra mim e disse: "Mas todo mundo faz isso!". E eu: "E daí? Você não é todo mundo, você é minha filha!". 

Estes dias, tenho tido uma tosse constante e tenho andado muito abatida, nem sei se é gripe, mas enfim, minha mãe pegou no meu pé, queria que fosse ao médico de qualquer jeito. No meio da discurssão disse: "Mas mãe, tá todo mundo tossindo, isso deve ser por causa do tempo seco!". E ela me respondeu: "E daí? Você não é todo mundo, você é minha filha!".

Por alguns dias ao menos, ganhei colo e leite queimadinho com canela. Por alguns dias, a princesa me permitiu ter minha mãe de volta.









segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Confiança

Tia Zaia pegunta:

- Quem quebrou a torneirinha do filtro.

E Larinha responde:

- Fui eu titia.

Larinha vira pra mim, me abraça e diz:

- Não é que tem que falar sempre a verdade, mamãe? Eu sempre falo a verdade pra mamãe, ela me xinga, mas ela me ajuda a resolver!

Quase chorei...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Por que ela me ama?

Ligo pra casa e a princesa atende. E do nada ela me vem com esta:

- Mamãe, eu te amo por dois motivos: Porque você é minha mamãe e porque você gosta da Bebel !

(Explicando: Bebel é a poodle da minha irmã, mas que é a paixão da bonequinha)



quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Vivendo e aprendendo

Sempre adotei o estilo de repreender dos antigos. “É com palmadas que a criança aprende a obedecer!”. Claro que nunca espanquei minha filha, mas ela ganhava lá suas palmadas. Bom, a vida é assim, se não aprendemos por bem, aprendemos por mal. Depois do episódio que aconteceu comigo, fiquei muito mais consciente. Não é justo ser agredida por uma pessoa muito mais forte que você, não há como se defender. Fiquei imaginando eu deste tamanho “agredindo” aquela coisa pequenininha sem que ela tenha qualquer forma de se defender. Agora sei como ela se senti. Uma pessoa que ela ama e que diz amá-la tanto deixá-la encurralada daquele jeito. Aqueles olhinhos aflitos. Só agora consigo perceber. De um tempo pra cá, só aplico castigos alternativos: Cinco minutos no cantinho de pensar ou no quarto, ficar sem ver Discovery Kids, não usar a bota que ela tanto ama, não ganhar surpresinha, ou somente uma boa conversa. E para meu espanto isso funciona muito mais. Ela estava se tornando uma criança agressiva. E por minha culpa. Eu estava ensinando isso pra ela. Agora ela esta bem mais calma e carinhosa. Escuta o que falo. Aceita e entende o castigo. Ainda apronta das suas, só que agora aprendi a educar corretamente. Aprendi a duras penas, mas aprendi. Perdoa mamãe, bonequinha?

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Escola nova. Vida nova.

Boneca, hoje foi seu primeiro dia na escola nova. Lá é lindo, não é? Você ficou maravilhada. No começo ficou um pouco ressabiada de entrar na salinha e enfrentar novos colegas. Mas sua professora me contou que com dez minutos você já estava enturmada. Brincou com os colegas. Comeu todo o lanche. Amo esse seu jeito, Princesa. Você faz amizade rapidamente, creio que toda criança seja assim, mas sua simpatia é contagiante. Amor, me perdoe por esta troca. Sei que você gostava da outra escola, da antiga professora e dos seus coleguinhas, mas foi necessária. Quando crescer, sei que vai entender todas estas mudanças. Mudança de casa, de escola... Mas acredite, lindeza, tudo isso é por um bem maior. Mamãe não fez tudo isso por mal. Agora você esta em um lugar bom, com gente que tanto ama, com seus priminhos, com a mamãe mais tranqüila e principalmente com a Bebel, que mesmo contra a minha vontade, é a sua cachorrinha preferida. Como você mesma diz, “ela é seu amorzinho”.  Bonequinha, você é e sempre será muito feliz no que depender de sua mamãe. Se possível for, viro o mundo do avesso. Foi o seu primeiro dia na escola e é o primeiro dia do resto de nossas vidas. Nosso recomeço, amorzinho!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

O Projeto

Você tem um projeto na cabeça, princesa. Há mais de um ano você chegou a mim toda eufórica dizendo que tinha uma idéia brilhante, que ia inventar uma máquina pra mim, um "Descascador de Bananas"! E me explicou em detalhes como ele iria funcionar e como seria útil pra mim. Na época comemoramos a idéia, mas confesso que achei que você ia deixá-la de lado para novos projetos. Engano meu. Há alguns meses você vem com um desenho no seu caderninho de anotações e me mostra dizendo: "Adivinha o que é isso, mamãe?". Como não adivinhei, você respondeu: "É o projeto do Descascador de Bananas!" Fiquei admirada! E mais admirada ainda ontem, quando de novo tocou no assunto dizendo que você vai sim construir e que ela vai ser muito útil. Meu amorzinho, é lindo você ter um projeto na cabeça e um amor no coração! Você é meu orgulho, bonequinha! Siga em frente, mamãe te apoia.

sábado, 11 de junho de 2011

Cinco anos !


Mais um ano de vida, minha boneca. E você queria tanto fazer 5 anos, que há muito tempo já mentia a sua idade. Você curtiu tanto a festa... Não estava se cabendo em si de tanta felicidade. E eu, na minha ingenuidade de mãe, achei que uma cama-elástica e um bolo da Hello Kitty eram poucos pra você. Mas você transbordava alegria com a chegada deles. O monitor marcou: cinqüenta minutos direto pulando. E no final o comentário: “Puxa, que energia que essa menina tem!”. E não é só energia. É beleza, charme, inteligência, alegria, liderança, simpatia, sagacidade, bom-humor e tudo mais que couber em uma princesa de cinco anos completados hoje.

Boneca, muito obrigada por me proporcionar mais um aniversário seu, perfeito pra mim e pra você. Só foi uma pena não ter nenhuma câmera pra registrar estes momentos, mas com certeza esta tudo gravado na minha retina pra sempre.

Te amo muito, princesa!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Activia

E não é que sábado estavamos Larinha, eu, vovó, Tia Zaia e Tia Barbara saindo do evento da Escola, quando eu e Larinha começamos tomar distância pois avistamos o supermercado e precisavamos comprar um Activia pra Princesa. 

Já de longe Tia Zaia pergunta: 
- Aonde vocês vão?

Larinha responde mais do que depressa e gritando:
- Mamãe vai comprar um iogurte pra eu fazer cocô!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Tava me lembrando...


Em uma festa de família, quando a Lara tinha uns dois anos, ela e outro menininho foram a sensação do evento. Os dois só andavam de mãos dadas ou abraçados. Tava a coisinha mais bonitinha os dois. Lá pelas tantas, o pai do garotinho perguntou: “Você tá namorando, meu filho?”, no que ele respondeu: “Não papai, a gente tá só ficando...”.

Posso com isso?

domingo, 8 de maio de 2011

Eu pari um presente lindo!

Ela estava tão empolgada com o Dias das Mães... Desde sexta-feira, quando cheguei já a noite do trabalho e ela me recebeu aos gritos de “Feliz Dia Das Mães!” com vários beijos e abraços, e um coração que ela havia colorido pra mim, escrito com a letrinha dela “Eu te amo mamãe. Lara”.

No domingo, ela chegou antes ao local aonde comemoraríamos o dia, a casa da Tia Zaia. Mal cheguei e novamente ela me encheu de beijos e abraços e de novo gritos de  “Feliz Dia Das Mães!”. Passado um pouco, se escondeu no quarto da titia e a manteve na guarita para eu não entrar. Estava armando alguma. Um tempo depois, me chega ela, mandando fechar os olhos, pois ela tinha uma surpresa. Obedeci. Mais gritinhos e o meu presente que ela, claro, ajudou a abrir. Outro bilhetinho muito colorido e um lindo par de brincos muito bem embrulhadinho com lacinho e tudo (coisa de Tia Bárbara...).

Não haveria presente melhor. Minha boneca já é o meu presente pro resto da vida. Graças a Deus pari uma princesa. Um presente que anda e fala! Ser a mãe dela é a melhor coisa do mundo!

Bonequinha, obrigada por ser minha filha!!

domingo, 17 de abril de 2011

Uma princesa conhecendo o litoral

Conhecendo o mar...

Viajando de Maria Fumaça...



(12/04/11 a 17/04/11)

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Mãe da Lara

Estou com muito medo do mundo que minha filha esta herdando. Desisto de entender o ser humano. Desisto de tentar saber até onde vai a maldade. Não esta adiantando só me preocupar com o ser que coloquei nesse mundo. Preciso desesperadamente entender este mundo insano e tentar explicar e preparar aquela pequena criaturinha, que não se pode confiar em qualquer um, que não pode confiar em aparências, que não pode confiar simplesmente no sorriso de alguém. E que, mesmo seguindo toda a minha cartilha de precauções, ela vai ter que se pegar com Deus. Porque do jeito que as coisas estão, só Ele. E mesmo assim... Mesmo assim! Acontecem tragédias sem nenhuma explicação, como a de Realengo.

Que Deus proteja nossos filhos e console os familiares que perderam seus entes tão jovens e queridos!

Deus, não desista de nós! 
Ainda há muita gente boa por aqui! 

Amém.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Ocorrência atrás de ocorrência

Minha bonequinha não é um exemplo de bom comportamento. Apronta todas e mais algumas. Quando estava grávida, queria um menino, quando descobri que era uma menina, as pessoas me “consolavam” dizendo que com uma menininha é muito mais tranqüilo. Acreditei nesta lorota. Princesa é uma coisa de linda, meiga, carinhosa e charmosa. Ao mesmo tempo é “cascateira”, “aprontadeira”, enfim, cada dia é uma ocorrência.

Nesta última sexta-feira, ligo como de costume por volta de 17:30hs pra saber se ela chegou bem da escola. Como sempre ela mesma atende ao telefone. Mas algo estava errado. A voz dela, mesmo meiga, parecia um pouco abafada, como se ela estivesse fechada em algum lugar. Ao fundo, escuto a voz da minha mãe, quase aos berros, pedindo o telefone. “Me dá esse telefone que eu vou contar o que você fez pra sua mãe!!”. E ela: “Não. Não dou!” E voltava a conversar comigo como se nada estivesse acontecendo. Então, pergunto calmamente a ela aonde exatamente esta e ela me responde: “To debaixo da cama, mamãe”. Conclui tudo então. Ela aprontou alguma, o telefone tocou, ela atendeu ao telefone antes pra vó dela não falar comigo e escondeu debaixo da cama.

Vamos a ocorrência em si: Ela chegou da escola, pediu a tesourinha pra fazer uns recortes. Vovó autorizou já anteriormente autorizada por mim. Afinal depois de tanto tempo escondendo as tesouras, achei que ela já tinha “maturidade” pra usar. Ledo engano. Começou recortando papel em seu quarto. Depois de alguns minutos (!) a vovô foi procurá-la e ela já estava fechada no meu quarto. Como vovó já manja esta garota desde o ventre, correu. Ela estava em frente ao meu espelho cortando os próprios cabelos. Já havia um monte de cabelinho cor de mel caído no chão. Quase conseguiu fazer um corte surfista.

Quando minha mãe conseguiu alcançar o telefone e me relatar tudo isto, quase tive um AVC. Na mesma hora e por telefone mesmo a coloquei de castigo e prometi um bom sermão quando chegasse, mas o que queria mesmo era dar uma boa surra!

Princesa, não dorme no ponto. E como já disse, cada dia é uma ocorrência. Ontem mesmo, teve outra. A chave da porta da cozinha para a área externa por precaução ficava escondida em cima da geladeira, pois acreditávamos que lá ela não alcançaria. Pois bem, ela descobriu o esconderijo. Chegou da escola, antes que minha mãe pudesse reagir, correu pra cozinha, puxou a cadeira até a geladeira, pegou a chave, trancou a porta da cozinha e jogou a chave pro lado de fora. Agora me diga: Por quê? Retaliação? Espiritozinho de porco? Não sei. Aguardo a próxima ocorrência.

terça-feira, 29 de março de 2011

Squalo

Ontem o seu peixinho morreu, boneca. E você não entendeu nada. Insistia que ele estava dormindo de barriga pra cima e sorrindo. Sua mamãe, inexperiente como é, não conseguia lhe explicar a morte. Mesmo quando dizia que ele tinha ido morar no céu, você retrucava: “Mas ele está no aquário!” Mas o espírito dele foi morar no céu, bonequinha! “Não mamãe, peixe fica na água!”. Como não conseguia explicar, decidi que teríamos que nos despedir dele. Concluímos que teríamos que jogá-lo no vaso sanitário, a única cova condizente que me vinha à mente. Fomos de mãos dadas até o sepulcro do peixinho vermelho. Nos despedimos e você ficou dando tchau pro Squalinho, como sempre o chamou. Mas ainda não entendeu o que é a morte, não é princesa? Eu ainda não entendo a morte. Vamos comprar outro peixinho, mas agora você quer um rosa, não é mesmo? E que o squalinho descanse em paz no céu de água que todo peixinho merece.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Amor, louco amor!

Agora é assim, ela quer ser baterista, além de mãe e médica.  Pega um livro e dois lápis e começa a tocar. Junta todas as suas bonecas e coloca na sala pra cuidar. Arrumou uma lupa não sei aonde, e fica examinando meus dentes, olhos, ouvidos. Aliás, sou sua paciente preferida. Melhor, cobaia. Compõe algumas música, gosta de trance, samba feito uma alemã e canta como um passarinho. Agora, aprendeu a dizer que ama e aprendeu a quantificar: "Mamãe, eu te amo mil!" e tenta mostrar a quantidade com os dedinhos. Charmosa, manhosa e esperta, descobriu que para me ganhar é só dar uma requebradinha e fazer boquinha de florzinha que me derruba. Ninguém nunca fará como ela. Descobriu também que sou muito esquecida e me ajuda bastante com sua memória de elefante. "Ô mamãe maluquinha!", diz ela. É personal stylist. Me produz e produz a si mesma e todos os seus arranjos são, como direi, muito divertidos. Ela é um talento. Não entendo o por quê, mas estou cada dia mais apaixonada por um garota de 1,01m, 16k, faladeira, trapaceira e charmosa duma figa!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Gustusuras do Dia

Larinha estava folheando o seu caderninho de anotações e contando as folhas:

- Primeira, segunda, terceira, quarta, quinta, sexta, sábado e... domingo! Pronto! Vou escrever nessa, mamãe!

**********************************

Larinha esta sentada no meu colo assistindo TV, vira-se pra mim e faz um “X” cruzando os dois indicadores:

- Mamãe, sabia que isso aqui é um dez?

(Por Deus que não sei aonde ela aprende estas coisas!!)

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Férias

Acabaram-se as férias. As águas de janeiro levaram. Foram dias e dias grudada, amarrada e misturada aquela menina. Não existe coisa mais gostosa. Fui abraçada, beijada e chamada de linda várias vezes por dia. E houve recíproca verdadeira. Percebi só agora que ela cresceu muito e bate-papo como se fosse gente grande. Aliás, me acostumei a pedir a opinião dela pra tudo. Ela tem boas idéias. É boa ajudante também. Por exemplo: “Mamãe, vou te ajudar a arrumar casa! Fica aí arrumando enquanto eu danço pra você!” E voltou a dançar na frente do rádio. Ajudou muito, nem me senti cansada. Logo nos primeiros dias das minhas férias, fui a uma apresentação que ela e sua turminha da escola fizeram na formatura de seus coleguinhas mais velhos. Ela dançou lindamente com aquele vestidozinho prata com bolinhas pretas. Fui tão tiete que depois fiquei até com um pouco de vergonha. Mas era tão lindo ela dançando e cantando a música de Sandy e Júnior que nós ensaiamos tanto que quase chorei. Ela tem o poder de me fazer pagar língua. Detesto Sandy e Júnior, mas dancei “ah, ah... vai ter que rebolar” em casa várias vezes e com o maior prazer. Fomos ao parque, ao shopping, a casa da titia, da vovó... Enfim, a todos os lugares que o temporal permitiu. Me deu aulas e ensinou o “a-e-i-o-u”, ensinou a cantar a música do Luan Santana (que aliás detesto, mas ver aquela boquinha de florzinha cantando é um sonho). Enfim, nas minhas férias fui aluna, filha, back vocal, bailarinha, capacho e ursinho de pelúcia da minha filha. As melhores férias do mundo! Definitivamente não queria voltar...