sábado, 27 de setembro de 2008

Sincericida

Desde que engravidei eu firmei alguns compromissos comigo, com o bebê que eu carregava e com Deus, e um deles é: Não mentir. O quesito básico de um bom mentiroso é uma boa memória. Deus, muito tempo antes, já colaborou com esse tratado, dando-me essa memória horrorosa. Nunca fui uma mentirosa profissional, mas confesso que por pura preguiça de dar longas explicações, lançava mão de mentirinhas rápidas e certeiras. Muitas e muitas vezes fui pega. Por quê? Memória fraquíssima. Era uma missão impossível lembrar-me de tudo que havia dito. Por agora, ando muito mais leve, sou uma Sincericida. Perguntou? Leva a resposta na lata. Em dias normais, pondero um pouco. Isso se agrava mesmo e beira a agressividade, durante a fatídica TPM. É pá-pum. Na cara. Sem dó nem piedade. Entes queridos e amigos próximos são as principais vítimas. Lamento, mas é incontrolável. Desde que adotei esse comportamento, estranhamente, não perdi nenhum amigo, ao contrario fiz novos, e isso é lindo! O negócio é que o sincericídio surtiu efeito, e a pequena princesa lá vai pelo mesmo caminho. “Quem foi que fez essa babunça????”, “Foi Larinha. Hihihi” (Ela fala na 3ª pessoa. Mania.) “Princesa, você ficou bunitinha hoje?”, “Larinha fez mal-criação.”, “Larinha bateu na Babi (poodle)”, e por aí vai... O que eu acho disso? Ótimo! Dizem que quem fala a verdade não merece castigo, até que ela (e eu) ganha(mos) alguns, mas eu procuro sempre incentiva-la a falar a verdade. Estou tentando criar um serzinho quase perfeito. Já vejo os primeiros sinais.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Princesa Faladeira

Ela é conhecida como “Grilo Falante”, “Maritaca na fruteira” ou “Lavadeira na beira do rio”. Tanto faz. O que importa é que ela fala, fala, fala... e a gente ainda não sabe tirar a pilha.

* Em um domingo, conversando (de brincadeirinha) ao telefone:

Ela: É... meia meia meia dois treis quatro
Amigo imaginário: (...)
Ela: Tá. Eu te dou um "toque".

(Ela já é praticamente uma moça!)

* Eu deitada no sofá, quando ela vem e senta ao meu lado:

Ela: Mamãe vamu conversar?
Eu: Vão!!
Ela: E aí?

(Eu agüento isso?! Ela puxa papo!)

* Ela cantando uma musiquinha do André Valadão:

Eu: Quem canta essa música?
Ela: Rafael
Eu: Rafael??
Ela: André!! Ó. Tô doida!

(Ô neném, viu!! Ai... ai...)