segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Cartas para minha filha

Belo Horizonte, 05 de agosto de 2005.
(um mês antes da minha princesa existir... ela era apenas um sonho...)

Oi bebê! Será que você esta ai?

Queria tanto que você existisse. Amo tanto seu pai... Gostaria de ter um pedacinho dele para mim, crescendo dentro de mim. Te amaria tanto... Você poderia ser menino ou menina. Tanto faz. O que queria mesmo é que você existisse. Que você existisse para mim, para o seu pai e para os seus avós.

Você teria avós adoráveis, que disputariam quem mimaria mais você. Você teria tios e tias de todos os humores e de todas as “cores”. Você teria muitos primos. Vários primos, de todas as idades, para você brincar, brigar e até paquerar.

Você seria um bebê lindo. Você teria os olhos e os cabelos do seu pai, teria a minha boca e um sorriso igual ao meu. Teria a serenidade e o amor da vovó Ladinha, teria a força do vovô Mazinho, teria a alegria e compreensão da vovó Garete, teria a bondade e seriedade do vovô Luiz.

Será que você esta ai bebê?

Você teria uma vida tão feliz... Não vou mentir para você, teria várias dificuldades, desilusões, decepções, mas mamãe e papai fariam de tudo, de tudo bebê, para tornar suas experiências suportáveis e sua vida muito feliz. (Mamãe faria cafuné. Seu papai gosta. Sabia?).

Amaríamos você com todas as forças, mas isso não quer dizer que não o corrigiríamos nas horas oportunas. Saber por que bebê? Por que nós criaríamos um ser humano maravilhoso, sereno, amoroso, forte, alegre, compreensivo, bondoso e sério.

Bebê, agora já não me importa se você esta ai ou não, já estou amando você. Fica com Deus meu bebezinho! Mamãe te ama...

*** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** ***

Belo Horizonte, 19 de outubro de 2005.
(um dia após a descoberta... um sonho maravilhoso realizado...)

Bom dia Bebê!!

Agora sei que você existe... 

Ontem descobri. Foi uma mistura de felicidade e medo. Felicidade porque você é a pessoa que mais vou amar neste mundo e medo por todas as outras coisas: Como será a gestação? Como será o parto? Será que você será saudável? Será que vou conseguir fazer de você uma pessoa feliz, honesta, bondosa... Enfim, será que vou conseguir orientar você para a vida? Eu e papai vamos fazer o possível e o impossível para que tudo dê certo pra você. Sabe por quê? Porque nós te amamos! Hoje pela manhã seu papai ficou um tempão conversando com você. Você ouviu? Passado o susto inicial ele ta feliz da vida. Aliás... Ele quer saber se você vai ser atleticano e se você vai ter os olhos iguais aos dele. Sabe de uma coisa Bebê? Sua vovó Ladinha ainda não sabe de você, eu e papai vamos contar hoje, eu acho que ela vai amar ser avó novamente... Primeiro, claro, ela vai dar um sermão em mim e no seu pai, porque nós não somos casados e tal, mas depois, (ah!) depois ela vai curtir cada momento da gravidez e quando você nascer ela vai te mimar tanto que vou até ficar brava com ela...

Bem, agora tenho que continuar trabalhando depois te conto como o resto da família recebeu a noticia de que você vem por aí...

Fica com Deus! Mamãe e Papai te amam!

Um comentário:

  1. Olá Marcia,
    ah que bonitinho.. eu tbm fiz cartinhas para meus filhos antes deles nascerem e logo depois. É encantador não é?
    Esse momento é mt mágico nas nossas vidas!
    bjs na sua pequena, que espero possa ir logo ao teatro com a mamaezinha dela
    rsrsrs

    ResponderExcluir