terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Desde que você passou a existir...

- Nunca mais dormi uma noite inteira.
- Choro por qualquer coisa.
- Observo as quinas dos móveis.
- Voltei a assistir desenho animado.
- Sou manipulada por uma pessoa que nem aprendeu a falar.
- Aprendi a interpretar os vários tipos de choro.
- Não atravesso com sinal vermelho e nem fora da faixa de pedestre.
- Passei a compreender a minha mãe.
- Dou mais valor à família.
- Fico louca pra chegar em casa depois de um dia de trabalho.
- Parei de beber e de falar palavrão pra poder dar o exemplo.
- Desconfio de pessoas desconhecidas.
- Me sento no chão pra brincar, e gosto.
- Me lembrei das cantigas de roda que minha mãe cantava pra mim.
- Eu sei inventar historinhas.
- Comecei a me preocupar com o futuro.
- Entendi o que é amor incondicional, entendi o que é amor-de-mãe.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

A Princesa e o Tududu

- Bom dia “Flor do Dia!” Dormiu bem?
(Nenhuma resposta, só uma cara de sono e um sorrisinho lindo)
- Que coisa linda é o meu amor!
- Tududu!?
- Não amor! Tududu ta dormindo.
- Tududu!
- Ta bom. Tão o tududu.
- Apeta!
- Ta sem pilha.
- Apeta! Apeta!
- Peraí. Mamãe põe a pilha.
- Apeta!
- Apetei.
(Começa a música e a dancinha do cachorrinho)
- Vamos descer princesa, vovó ta com saudade.
(ela vem engatinhando e eu a pego no colo...)
- Tududu!?
- Ta bom, mamãe leva tududu, mas vou tirar a pilha.
- A pía! Tira!
- Dá bom dia pra vovô.
- Bodia!
- Agora mamãe vai trabalhar.
- Ô té baiá! (e vai caminhando na direção da porta).
- Não amor, mamãe ta atrasada...
- Tóio mamãe! (já largando o Tududu)
(e eu dou colo, e vou carregando ela até o portão)
- Vai pro colo da vovó ta bom? Tchau princesa. Deus te abençoe! Mamãe volta. Se comporta direitinho com a vovó.
(e subo a rua e ela fica me dando tchauzinho)

Maravilhosa!!!!!

*** ***

Pequeno dicionário Lara:

Tududu: Cachorrinho de brinquedo que fica dançando ao som de “Passarinho quer dançar, o rabinho balançar...”
Apeta: Aperta
Bodia: Bom dia
Baiá: Trabalhar
Té: Quero
Tóio: Colo
Pía: Pilha

O que se aprende com os índios...

Amorzinho, hoje, em um breve bate-papo com um colega de trabalho, aprendi coisas que vou levar para o resto da vida. Ele conviveu durante certo tempo com dois índios, um peruano e um nacional, e me passou as seguintes lições:

1. Quando for chamar a atenção de seu filho, nunca converse com ele de cima para baixo. Se abaixe e converse na altura dele.
2. Abrace muito seu filho, isso aumenta a autoconfiança dele. (Além de ser uma delicia!).
3. Até os três anos de idade do seu filhote, faça careta para todos os vícios: Cigarro? Blah! Bebida? Blah! Isso vai fazer com que ele evite ou no mínimo não exceda. (Não sei se essa dica foi do meu colega ou foi do índio... Vale a intenção).
4. Se você quer fazer um móvel, tem que cortar a árvore em mês sem a letra “R” e só na lua minguante. O móvel vai ser pra vida inteira.(Bom! Não sei se essa dica vai ser de muita utilidade, mas ta aí)

terça-feira, 25 de setembro de 2007

O que é o amor ?

Recebi este email e achei lindo!
Compartilho agora com vocês, segue:

Esta foi uma pesquisa séria feita por profissionais de educação e psicologia com um grupo de crianças de 4 a 8 anos.

O que é o amor?

Respostas:
-AMOR É QUANDO ALGUÉM TE MAGOA E VOCÊ, MESMO MUITO MAGOADO, NÃO GRITA, PORQUE SABE QUE ISSO FERE SEUS SENTIMENTOS"
MATHEW, 6 ANOS

- "QUANDO MINHA AVÓ PEGOU ARTRITE, ELA NÃO PODIA SE DEBRUÇAR PARA PINTAR AS UNHAS DOS DEDOS DO PÉ. MEU AVÔ, DESDE ENTÃO, PINTA AS UNHA PARA ELA. MESMO QUANDO ELE TEM ARTRITE"
REBECCA, 8 ANOS

- "AMOR É QUANDO UMA MENINA COLOCA PERFUME E O MENINO COLOCA LOÇÃO PÓS-BARBA, E ELES SAEM JUNTOS E SE CHEIRAM"
KARL, 5 ANOS

- "EU SEI QUE MINHA IRMÃ MAIS VELHA ME AMA PORQUE ELA ME DÁ TODAS AS SUAS ROUPAS VELHAS E TEM QUE SAIR PARA COMPRAR OUTRAS"
LAUREN, 4 ANOS

- "AMOR É COMO UMA VELHINHA E UM VELHINHO QUE AINDA SÃO MUITO AMIGOS, MESMO CONHECENDO HÁ MUITO TEMPO"
TOMMY, 6 ANOS

- "QUANDO ALGUÉM TE AMA, A FORMA DE FALAR SEU NOME É DIFERENTE"
BILLY, 4 ANOS
(liiiiinnndooo!)

-"AMOR É QUANDO VOCÊ SAI PARA COMER E OFERECE SUAS BATATINHAS FRITAS, SEM ESPERAR QUE A OUTRA PESSOA TE OFERECA AS BATATINHAS DELA"
CHRISSY, 6 ANOS
(s/dúvida, a + profunda!!!)

- "AMOR É O QUE ESTÁ COM A GENTE NO NATAL, QUANDO VOCÊ PÁRA DE ABRIR OS PRESENTES E O ESCUTA"
BOBBY, 5 ANOS

- "QUANDO VOCÊ FALA PARA ALGUÉM ALGO RUIM SOBRE VOCÊ MESMO E SENTE MEDO QUE ESSA PESSOA NÃO VENHA A TE AMAR POR CAUSA DISSO, AÍ VOCÊ SE SURPREENDE, JÁ QUE NÃO SÓ CONTINUAM TE AMANDO, COMO AGORA TE AMAM MAIS AINDA"
SAMANTHA, 7 ANOS
(gente olha a profundidade dessa expressão)

- "HÁ DOIS TIPOS DE AMOR, O NOSSO AMOR E O AMOR DE DEUS, MAS O AMOR DE DEUS JUNTA OS DOIS"
JENNY, 4 ANOS

- "AMOR É QUANDO MAMÃE VÊ O PAPAI SUADO E MAL CHEIROSO E AINDA FALA QUE ELE É MAIS BONITO QUE O ROBERT REDFORD"
CHRIS, 8 ANOS
(que sinceridade...)

- "AMOR É QUANDO VOCÊ FALA PARA UM GAROTO QUE LINDA CAMISA ELE ESTÁ VESTINDO E ELE A VESTE TODO DIA "
NOELLE, 7 ANOS

- "NÃO DEVERÍAMOS DIZER EU TE AMO A NÃO SER QUANDO REALMENTE O SINTAMOS. E SE SENTIMOS, ENTÃO DEVERÍAMOS EXPRESSÁ-LO MUITAS VEZES. AS PESSOAS ESQUECEM DE DIZÊ-LO"
JESSICA, 8 ANOS

- "AMOR É SE ABRAÇAR, AMOR É SE BEIJAR, AMOR É DIZER NÃO"
PATTY, 8 ANOS

- "DEUS PODERIA TER DITO PALAVRAS MÁGICAS PARA QUE OS PREGOS CAÍSSEM DO CRUCIFIXO, MAS ELE NÃO DISSE ISSO. ISSO É AMOR"
MAX, 5 ANOS
(essa foi demais!! com certeza é a melhor definição de amor que eu já li até hoje)

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Cartas para minha filha

Belo Horizonte, 05 de agosto de 2005.
(um mês antes da minha princesa existir... ela era apenas um sonho...)

Oi bebê! Será que você esta ai?

Queria tanto que você existisse. Amo tanto seu pai... Gostaria de ter um pedacinho dele para mim, crescendo dentro de mim. Te amaria tanto... Você poderia ser menino ou menina. Tanto faz. O que queria mesmo é que você existisse. Que você existisse para mim, para o seu pai e para os seus avós.

Você teria avós adoráveis, que disputariam quem mimaria mais você. Você teria tios e tias de todos os humores e de todas as “cores”. Você teria muitos primos. Vários primos, de todas as idades, para você brincar, brigar e até paquerar.

Você seria um bebê lindo. Você teria os olhos e os cabelos do seu pai, teria a minha boca e um sorriso igual ao meu. Teria a serenidade e o amor da vovó Ladinha, teria a força do vovô Mazinho, teria a alegria e compreensão da vovó Garete, teria a bondade e seriedade do vovô Luiz.

Será que você esta ai bebê?

Você teria uma vida tão feliz... Não vou mentir para você, teria várias dificuldades, desilusões, decepções, mas mamãe e papai fariam de tudo, de tudo bebê, para tornar suas experiências suportáveis e sua vida muito feliz. (Mamãe faria cafuné. Seu papai gosta. Sabia?).

Amaríamos você com todas as forças, mas isso não quer dizer que não o corrigiríamos nas horas oportunas. Saber por que bebê? Por que nós criaríamos um ser humano maravilhoso, sereno, amoroso, forte, alegre, compreensivo, bondoso e sério.

Bebê, agora já não me importa se você esta ai ou não, já estou amando você. Fica com Deus meu bebezinho! Mamãe te ama...

*** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** ***

Belo Horizonte, 19 de outubro de 2005.
(um dia após a descoberta... um sonho maravilhoso realizado...)

Bom dia Bebê!!

Agora sei que você existe... 

Ontem descobri. Foi uma mistura de felicidade e medo. Felicidade porque você é a pessoa que mais vou amar neste mundo e medo por todas as outras coisas: Como será a gestação? Como será o parto? Será que você será saudável? Será que vou conseguir fazer de você uma pessoa feliz, honesta, bondosa... Enfim, será que vou conseguir orientar você para a vida? Eu e papai vamos fazer o possível e o impossível para que tudo dê certo pra você. Sabe por quê? Porque nós te amamos! Hoje pela manhã seu papai ficou um tempão conversando com você. Você ouviu? Passado o susto inicial ele ta feliz da vida. Aliás... Ele quer saber se você vai ser atleticano e se você vai ter os olhos iguais aos dele. Sabe de uma coisa Bebê? Sua vovó Ladinha ainda não sabe de você, eu e papai vamos contar hoje, eu acho que ela vai amar ser avó novamente... Primeiro, claro, ela vai dar um sermão em mim e no seu pai, porque nós não somos casados e tal, mas depois, (ah!) depois ela vai curtir cada momento da gravidez e quando você nascer ela vai te mimar tanto que vou até ficar brava com ela...

Bem, agora tenho que continuar trabalhando depois te conto como o resto da família recebeu a noticia de que você vem por aí...

Fica com Deus! Mamãe e Papai te amam!